A bicicleta não é apenas uma ferramenta de transporte, mas um meio de emancipação, uma arma de libertação. Liberta o espirito e o corpo das inquietudes morais e das doenças físicas do mundo moderno, da ostentação, da convenção e da hipocrisia aonde a aparência é tudo, mas não somos nada. By Paul de Vivie



quinta-feira, 30 de setembro de 2010

domingo, 26 de setembro de 2010

Polícia preparada????

Não pude ir na bicicletada no sabado.
Porém varios amigos foram, e disseram que foi bastante movimentada.
A bicicletada deste sábado a conduta da polícia não teve nada de exemplar. A princípio ela escoltava o grupo pela cidade (hum, estranho!). Em um certo cruzamento, um dos ciclistas parou para ajudar um senhor com bengala a atravessar a rua. Um dos carros parou para dar passagem e outro não. Ao falar com o motorista que o pedestre tinha preferência sobre os carros, o nobre aspirante Nagata, de escopeta em punho, abordou o ciclista! Veja a foto e tire as tuas próprias conclusões.

Estamos bem: motoristas estressados, policiais preparados para a guerra abordando ciclistas desarmados, gentilezas não existem. Vamos sobreviver?
Via Pedaleiro

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Marchas das 1001 bikes - Bicicletada

Desde que vim morar aqui em CWB, nunca tinha ido na bicicletada, na verdade não foi uma bicicletada e sim a marcha das 1001 bikes. Combinamos eu, Leandro,Guilherme, Jops, Mildão, Fabricio e Thiago de nos encontrarmos no patio da reitoria do Federal. A surpresa da noite foi o Sartori aqui em Cwb, talvez role um pedal com ele la pelo dia 02/10 - a confirmar... Quando chegamos la, a saida seria na Santos Andrade. Fomos até lá e já tinha muita gente, o Plá cantando, uns hare krishna cantando e infelizmente um cheiro de maconha duca...
video"
Tinha muita gente mesmo, fiquei impressionado, já tinha lido e ouvido a respeito mas nunca presenciado. Ficamos la mais um pouco, pois como é uma massa, que não tem lider, estavamos esperando todos sairem pra pedalar...

Enquanto isso, chegou muito mais bikes, e um povo com tambores, que pareciam Chico Science, muito legal, depois eles e os Hare que "puxaram"as musicas no decorrer do trajeto. Gritaram pra todos começarem a pedalar e fomos no coro "menos carro, mais bicicletas...", quase o trajeto todos. PAramos a maioria das ruas principais ali, num horario, que a pessoa ja ta sacuda, por estar num transito duca e ainda por cima, veem um monte de bikes passando e gritando. Me pus no lugar deles, mas sinceramente: danem-se rs, eles poderiam muito bem estar de magrela, ou outro modal pra se locomover. Catzo dia mundial sem carro, acha que nào iriam lotar de magrelas Curitiba???????? Um momento que fiquei com receio, foi quando paramos o transito na Marechal Deodoro, e um motoboy ïnvadiu"a pista e foi jogando a moto pra cima dos biker que nao queriam que ele passasse, caraca, fiquei na minha bem susse pra não sobrar e dopo disso o "passeio". Depois disso, rumamos para a Marechal com Marechal, ai sim foi bonito, ficamos uns par de tempo por lá, os carros começaram a buzinar e o pessoal ficou louco, indo pra cima dos carros e sempre gritando "menos carro, mais bicicletas...
video





Depois seguimos para a Brigadeiro Franco, pegamos a Vicente MAchado e chegamos na Praça Osorio, de La pegamos a Cruz Machado aonde fomos parar na Praça Tirandentes daonde me despedi do pessoal fui pra casa.
Pedalei ao todo hj 25 km.
E adorei a experiencia, na proxima com certeza iriei nas proximas.

domingo, 19 de setembro de 2010

Pinhais - Piraquara - Túnel Roça Nova - Novo Tirol - cachimbo - São José

Sabadão um frio da gota, acordei rezando pra não estar chovendo e minhas preces foram atendidas.
Estava uns 10C, me agasalhei um monte, e fui ao encontro do Leandro e do Guilherme, que estavam me esperando no Estação.
Caraca, peguei um vento contra até lá que já imaginava o que viria por vim, e acertei em cheio.
Do Estação fomos para Pinhais nos encontrarmos com o fabricio e o Marlon, que ficaram um bom tempo nos esperando, também pudera, pegamos um vento contra que tinha mencionado antes que não foi facíl.
De lá fomos para Piraquara tomarmos um cafezinho da manha, com pao de queijo.
Estava uma delicia tudo, e o frio aumentando, quando montei na bike, vi que o pneu de tras estava mucho - que catzo outra vez - paramos num posto pra fazer a troca e seguir passeio.

foto by Leandro
Dopo disso começou a parte boa: Terra rs, pegamos uns caminhos para o tunel Roça nova.
Uma paisagem muito bonita e com muitas arvores que amenizou um pouco o vento que estava forte.






Antes do tunel pegamos uma trilha bem fechada pra irmos numa pedreira, caraca ventava pacas por la e ficamos bem pouco e em seguida ja estavamos no tunel.





Chegamos no tunel, fiquei sabendo que só iriamos "visitar" o tunel não passarmos, melhor, pois eu e o Guilherme fomos nem até a metade e já me deu um pavor danado.
O tunel que está desativado foi vendido prum cara pra fazer uma adega.










De lá saimos e tivemos que pular o trem, pois tinhamos que pegar uma estrada pra continuarmos o pedal.





Foi a gente passar que o trem começou a andar, ai tinha dois cachorros que queriam atravessar o trilho, e um dos dois, nao foi e o outro foi... atropelado, dividido em dois, o tourinho queria tirar uma foto, ainda bem que ele estava sem camera, muito nojento...
Bom dopo disso, queriamos fazer uma trilha que tinhamos que pular uma cerca, e bem na hora o suposto dono, nos deu um coio dizendo que não poderiamos entrar lá e que fossemos pra outra banda fazer trilha, como somos bonzinhos e responsaveis não compramos briga e fomos fazer trilha em outro lugar.




Fomos até uma trilha que sairia em lugar nenhum, num beira lago, aonde fizemos uma boquinha e voltamos pelo mesmo lugar.
Tinha muita pedra, raizes e lama, muita lama.
Até o Leandro caiu rs, e eu registrei:

De lá fomos até outra colonia, comemos alguma coisa, e seguimos para a colonia Trentino, aonde tinha uma trilha ao lado da igreja, mas por conta de jeepeiros e motoqueiros, fizeram uns buracos ao longo da trilha que so passava fazendo balduações, mas estava muito frio, descemos novamente e seguimos para o pedagio tomar um cafezinho pra dopo ir finalmente almoçar.
Ficamos um pouco no pedagio, tomamos um café e subimos um pouco pela 277 pra pegar outra estrada de terra pra chegarmos ao destino final que era a colonia Mergulhão.
Nossa nessa hora já estava verde de fome, tinha umas barras de cereais que não fizeram nem cocega - rs - faltava uns 6km pra chegar la, e eu estava contando, fiquei atras com o Marlon e o tempo passou mais rapido e finalmente chegamos.
Lá encostamos as magrelas, pedimos os espetinhos de peixe com queijo, enrolamos um pouco e seguimos caminho até em casa.
Pro Fabricio e o Marlon, estava bem sussegado, pois estavam perto de casa, o Marlon começou a ir num ritmo mais devagar, pois na mesma trilha aonde o Leandro caiu ele caiu na ida, e acredito que bateu o joelho, mas como estavamos pedalando forte, ele acabou nem sentindo, mas como paramos pra comer, esfriou o musculo e ai começou a sentir dores fortes.
Bom deixamos o Marlon primeiro e em seguida foi o Fabricio que ficou, ai foi mais uns 15~18 km até em casa.
Não sei se foi o vento a favor, ou a vontade de chegar logo em casa, mas fazemos eu, Leandro e Guilherme uma media de 30~34 km/h.
Cheguei em casa as 16H30min em ponto com 105 km pedalados redondos, com media de 18,5 km/h total no pedal de 5H e 57 mim.